existir

A EXISTIR surgiu em 2001, por iniciativa de um grupo de pais de crianças com Síndrome de Down, com o propósito de constituir uma entidade privada, sem fins lucrativos, que apoiasse crianças portadoras de necessidades especiais, em especial a Síndrome de Down. Fundamos a Entidade em fins de 2004, com o seu registro em 25.01.2005, tendo por objetivo um projeto diferenciado, ou seja, trabalho em grupos de crianças com Síndrome de Down a partir dos 2 anos de idade.

terça-feira, 30 de junho de 2009

Afinal, uma boa notícia

Cida e a família ganharam a reforma completa da residência atingida pela tragédia de novembro
Em novembro de 2008, Maria Aparecida Naumann viu a correnteza levar os móveis recém-comprados e ainda não pagos, viu o terreno de casa quase se transformar em um rio, em Blumenau.Ontem, Cida, como é conhecida, viu uma comitiva bater à porta da mesma casa, no Bairro Fortaleza com a notícia: sua moradia será reformada. A dona-de-casa de 48 anos foi uma das quase mil pessoas que enviaram cartas contando a sua história e a de suas casas ao Projeto Reforma Solidária.A iniciativa do Núcleo de Decoração da Associação Empresarial Blumenau (Acib), com a ajuda de patrocinadores e apoiadores como o Grupo RBS, selecionou uma das casas atingidas pela enchente para reformar e completar com o que for preciso – de paredes a móveis. A carta escolhida pela comissão foi entregue no penúltimo dia da promoção, em mais um gesto de obstinação de Cida.Ela e a família ficaram três semanas na casa de amigos depois do dia 22 de novembro. Quando voltaram, havia sobrado a televisão, um armário, as poucas coisas que conseguiram deixar em locais altos e amontoados de roupas enlameados. Pouco se aproveitou.Ainda pagando prestações dos móveis que a enchente levou, a família fez o que pôde para consertar os estragos e continuar a reforma. A casa, com cerca de 80 metros quadrados, hoje está mobiliada graças a doações do Instituto Guga Kuerten.Boa parte das roupas também veio de doações. A dona-de-casa e o marido moram com quatro filhos – entre eles Ana Carolina, nove anos, portadora de Síndrome de Down.
MARIANA FURLAN Blumenau

Nenhum comentário:

Postar um comentário