existir

A EXISTIR surgiu em 2001, por iniciativa de um grupo de pais de crianças com Síndrome de Down, com o propósito de constituir uma entidade privada, sem fins lucrativos, que apoiasse crianças portadoras de necessidades especiais, em especial a Síndrome de Down. Fundamos a Entidade em fins de 2004, com o seu registro em 25.01.2005, tendo por objetivo um projeto diferenciado, ou seja, trabalho em grupos de crianças com Síndrome de Down a partir dos 2 anos de idade.

domingo, 22 de novembro de 2009

Esperança no tratamento da síndrome de Down

WASHINGTON, EUA — Pesquisas animadoras realizadas com ratos poderiam, potencialmente, levar a tratamentos destinados a crianças trissômicas, segundo um estudo publicado nesta quarta-feira.


Ao nascer, essas crianças não apresentam sinais palpáveis mas, com o tempo, desenvolvem problemas cognitivos por causa de déficits de memória inerentes à trissomia 21, também chamada Síndrome de Down.

Esta incapacidade para memorizar limita a aprendizagem porque o cérebro tem dificuldades para reter experiências que permitem um desenvolvimento cognitivo considerado normal, explicam cientistas da Faculdade de Medicina da Universidade de Stanford (Palo Alto, Califórnia, oeste).

Seus trabalhos, divulgados na revista médica Science Translational Medecine, aportam uma nova visão sobre o mecanismo neural responsável pelo funcionamento deficitário da memória e propõem nova estratégia para corrigir os efeitos do problema com medicamentos.

O estudo realizado com cobaias que tiveram seus cérebros manipulados geneticamente, para torná-los similares aos dos portadores de trissomia, mostrou pela primeira vez que o estímulo da produção de noradrenalina melhora sua capacidade mental.

A noradrenalina é um neurotransmissor que permite a comunicação com as células nervosas.

"Se a intervenção for feita cedo o suficiente poderá ajudar essas crianças a memorizar e a utilizar informação", explicou o Dr. Ahmad Salehi, diretor do estudo.

"Teoricamente, isso poderia levar à melhoria de suas funções mentais", acrescenta no artigo.

 
http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2009/11/19/estudo-com-camundongos-aponta-tratamento-para-sindrome-de-down-914833587.asp

Nenhum comentário:

Postar um comentário