existir

A EXISTIR surgiu em 2001, por iniciativa de um grupo de pais de crianças com Síndrome de Down, com o propósito de constituir uma entidade privada, sem fins lucrativos, que apoiasse crianças portadoras de necessidades especiais, em especial a Síndrome de Down. Fundamos a Entidade em fins de 2004, com o seu registro em 25.01.2005, tendo por objetivo um projeto diferenciado, ou seja, trabalho em grupos de crianças com Síndrome de Down a partir dos 2 anos de idade.

terça-feira, 25 de julho de 2017



·         


Paciência, preparação pedagógica e psicológica, amorosidade e proatividade são algumas das características que os profissionais que lidam com  alunos com Down devem ter para que consigam contribuir de maneira correta e eficaz no desenvolvimento das crianças com síndrome de Down, obviamente isso vale para qualquer aluno, de toda forma iremos enfatizar neste post a relação com os alunos com síndrome de down.
É dever do estado e assegurado por lei, conforme o Artigo 27 do estatuto da pessoa com deficiência, que a criança ou adolescente com Down tenha   assegurados sistema educacional inclusivo em todos os níveis e aprendizado ao longo de toda a vida, de forma a alcançar o máximo desenvolvimento possível de seus talentos e habilidades físicas, sensoriais, intelectuais e sociais, segundo suas características, interesses e necessidades de aprendizagem.

Para ler mais sobre a Lei Brasileira de Inclusão veja link
Por isso, a educação inclusiva ( escola para todos) vem sendo discutida nas escolas com uma frequência cada vez maior a fim de incitar nos educadores a necessidade de terem um olhar interdisciplinar e se preparem melhor para lidar com a diversidade humana. A família, por sua vez, também possui um papel fundamental e deve acompanhar e cobrar os direitos de seus filhos nas escolas. Mas como garantir a inclusão das pessoas com síndrome Down?
Pensando nisso, separamos algumas dicas que podem ajudar os profissionais a ampliarem a visão e obterem resultados positivos na educação e socialização . Vamos lá?
Promova atividades culturais nas atividades escolares
Brincadeiras que incluam música e dança, teatro e exibição de filmes que abordem temas culturais e educacionais são algumas das atividades que devem ser aplicadas em sala de aula. Envolva e dê voz para todas as pessoas, fortalecendo  as habilidades singulares de cada aluno. As atividades culturais e de jogos ajudam a verificar e conhecer novas habilidades dos alunos.
Os alunos com síndrome de down não são “café com leite e devem ser protagonistas das atividades. Veja mais sobre esse assunto no link

Converse com os pais sobre a inclusão de atividades extraclasse
É fundamental que as crianças tenham uma vida ativa fora da escola, por isso os profissionais devem incentivar que os pais levem os filhos para passear e se divertir em parques, clubes, cinemas, entre outros. Quanto mais contato com ambientes externos, situações e pessoas diferentes, melhor é a socialização das crianças.
Facilite a comunicação  com o mundo! Promova eventos e palestras sobre o assunto. Busque informações e também aprenda com os pais. O envolvimento de todos é muito importante no processo educacional.
Conheça nossas palestras
Cobre disciplina e compromisso das crianças com Down
Limites são necessários tanto em casa quanto na escola, uma vez que as pessoas com down devem ser educadas e disciplinadas como qualquer outro aluno. Ter cuidado é diferente de ser conivente com comportamentos errados, certo? Portanto, eduque sempre com amor!
Nenhum aluno é café com leite e pode fazer o que quiser em sala de aula.
Profissionais que lidam com alunos com Síndrome de  Down precisam entender o ritmo de cada aluno.
As pessoas com Down geralmente possuem um ritmo de aprendizado mais lento do que as outras, então, as atividades oferecidas a elas devem ser observadas com mais cuidado e atenção. Afinal,  podem apresentar dificuldades na capacidade da fala, da escrita e até mesmo ao se expressarem emocionalmente. Todos esses obstáculos devem ser tratados com afeto e paciência.
O olhar interdisciplinar dos profissionais que lidam com  alunos com síndrome Down é fundamental para que o aprendizado seja eficaz e prazeroso.
O educador deve acreditar na potencialidade de cada estudante, independentemente da sua condição. Portanto, incentivar atividades com outros alunos, propor brincadeiras visuais e estimular os pais a criarem um ambiente confortável com as crianças e adolescentes com Down são atitudes essenciais para o desenvolvimento saudável dela.

Fonte: http://www.incluo.com.br/blog/o-olhar-interdisciplinar-dos-profissionais-que-lidam-com-down

Nenhum comentário:

Postar um comentário